Palavra Útil



“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra”  (2 Timóteo 3.16-17 NVI). A expressão ”inspirada por Deus“ significa literalmente, soprada por Deus, isto é, a Bíblia procede de Deus e Ele usou homens escolhidos para a escreverem (2 Pedro 1.21). Deus também supervisionou esses autores de modo que, usando suas capacidades e características individuais, compuseram e registraram sem erro a Sua palavra para a humanidade. Jesus assegurou o fato de que a inspiração se estende às próprias palavras (Mateus 5.18; João 10.35). Em um mesmo versículo Paulo citou Deuteronômio e Lucas como sendo “Escritura” (1 Timóteo 5.18), e Pedro afirmou que as cartas de Paulo eram “Escritura” (2 Pedro 3.16). Embora a inspiração não envolva o ditar mecânico, ela indica o registro exato das palavras de Deus. Outro fato importante é que a inspiração não se estende além dos manuscritos originais, embora as cópias de que dispomos hoje tenham sido produzidas com alto grau de exatidão. Esta declaração da autoridade divina sobre cada texto das Escrituras é preliminar ao tópico principal do versículo. O que o autor desta carta realmente desenvolve é a ideia da utilidade ou função das Escrituras. Ele faz isso usando quatro sentenças e cada qual iniciando com a mesma preposição “para” que aqui indica propósito. A Escritura é “útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça”. Em primeiro na lista de utilidades aparece o termo geral “ensino”. Este termo pode se aplicar ao conteúdo do que é ensinado, ou à própria atividade de ensinar. Este último sentido se aplica aqui, embora a ideia de conteúdo, ou seja, a devida interpretação dos textos da Escritura esteja implícita. Continuaremos a discorrer sobre a utilidade das Escrituras neste texto em outra oportunidade. Por ora, vale enfatizar a relevância da leitura diária da Palavra na vida de todos nós. Pois, ela é apta para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir falhas e instruir a maneira certa de viver. ________________________________ João Crisóstemo



“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra”  (2 Timóteo 3.16-17 NVI). A expressão ”inspirada por Deus“ significa literalmente, soprada por Deus, isto é, a Bíblia procede de Deus e Ele usou homens escolhidos para a escreverem (2 Pedro 1.21). Deus também supervisionou esses autores de modo que, usando suas capacidades e características individuais, compuseram e registraram sem erro a Sua palavra para a humanidade. Jesus assegurou o fato de que a inspiração se estende às próprias palavras (Mateus 5.18; João 10.35). Em um mesmo versículo Paulo citou Deuteronômio e Lucas como sendo “Escritura” (1 Timóteo 5.18), e Pedro afirmou que as cartas de Paulo eram “Escritura” (2 Pedro 3.16). Embora a inspiração não envolva o ditar mecânico, ela indica o registro exato das palavras de Deus. Outro fato importante é que a inspiração não se estende além dos manuscritos originais, embora as cópias de que dispomos hoje tenham sido produzidas com alto grau de exatidão. Esta declaração da autoridade divina sobre cada texto das Escrituras é preliminar ao tópico principal do versículo. O que o autor desta carta realmente desenvolve é a ideia da utilidade ou função das Escrituras. Ele faz isso usando quatro sentenças e cada qual iniciando com a mesma preposição “para” que aqui indica propósito. A Escritura é “útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça”. Em primeiro na lista de utilidades aparece o termo geral “ensino”. Este termo pode se aplicar ao conteúdo do que é ensinado, ou à própria atividade de ensinar. Este último sentido se aplica aqui, embora a ideia de conteúdo, ou seja, a devida interpretação dos textos da Escritura esteja implícita. Continuaremos a discorrer sobre a utilidade das Escrituras neste texto em outra oportunidade. Por ora, vale enfatizar a relevância da leitura diária da Palavra na vida de todos nós. Pois, ela é apta para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir falhas e instruir a maneira certa de viver. ________________________________ João Crisóstemo