Apoio Oportuno



“Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos, pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Hebreus 4.14-16 NVI). Jesus é apresentado a nós como sendo o “sumo sacerdote misericordioso e fiel” (Hebreus 2.17). Por isso, podemos esperar dele todo o apoio que necessitamos para continuarmos firmes e não retrocedermos na fé. O fato de ser o Filho de Deus e possuir uma natureza divina não o desqualifica a compartilhar dos nossos problemas e fraquezas. Ele mesmo suportou as tentações que somos passiveis de experimentar; porém, permaneceu inabalável e adentrou às regiões celestes e ao próprio trono de Deus. Portanto, através do exemplo dele, nós temos um incentivo poderoso para perseverarmos na vida cristã e na obediência. Esta sua posição exaltada é que o torna o “grande” sumo sacerdote. De modo que somos estimulados a nos apegarmos com toda firmeza à fé que professamos, pois o temos como nosso fiel ajudador. O fato de Cristo ter passado todo tipo de tentação não quer dizer que Ele tenha experimentado cada uma das tentações pelas quais nós passamos, mas que Ele foi tentado em todas as áreas em que nós somos tentados, quais sejam, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos, e a soberba da vida (1 João 2.16); e com tentações especialmente preparadas para Ele. Tal provação só foi possível por Ele ter assumido a semelhança de carne pecaminosa, pois se não tivesse havido encarnação, Ele não poderia ter sido tentado (Tiago 1.13). Nosso Senhor foi diferente de todos os outros homens pelo fato de ter sido sem pecado, ou seja, ele não possuía uma natureza pecaminosa como nós. E assim, Ele suportou e venceu com sucesso suas provas e é capaz de oferecer misericórdia e graça para nos ajudar no momento da necessidade, pois conhece perfeitamente aquilo pelo que passamos. ____________________________________ João Crisóstemo



“Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos, pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Hebreus 4.14-16 NVI). Jesus é apresentado a nós como sendo o “sumo sacerdote misericordioso e fiel” (Hebreus 2.17). Por isso, podemos esperar dele todo o apoio que necessitamos para continuarmos firmes e não retrocedermos na fé. O fato de ser o Filho de Deus e possuir uma natureza divina não o desqualifica a compartilhar dos nossos problemas e fraquezas. Ele mesmo suportou as tentações que somos passiveis de experimentar; porém, permaneceu inabalável e adentrou às regiões celestes e ao próprio trono de Deus. Portanto, através do exemplo dele, nós temos um incentivo poderoso para perseverarmos na vida cristã e na obediência. Esta sua posição exaltada é que o torna o “grande” sumo sacerdote. De modo que somos estimulados a nos apegarmos com toda firmeza à fé que professamos, pois o temos como nosso fiel ajudador. O fato de Cristo ter passado todo tipo de tentação não quer dizer que Ele tenha experimentado cada uma das tentações pelas quais nós passamos, mas que Ele foi tentado em todas as áreas em que nós somos tentados, quais sejam, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos, e a soberba da vida (1 João 2.16); e com tentações especialmente preparadas para Ele. Tal provação só foi possível por Ele ter assumido a semelhança de carne pecaminosa, pois se não tivesse havido encarnação, Ele não poderia ter sido tentado (Tiago 1.13). Nosso Senhor foi diferente de todos os outros homens pelo fato de ter sido sem pecado, ou seja, ele não possuía uma natureza pecaminosa como nós. E assim, Ele suportou e venceu com sucesso suas provas e é capaz de oferecer misericórdia e graça para nos ajudar no momento da necessidade, pois conhece perfeitamente aquilo pelo que passamos. ____________________________________ João Crisóstemo