Alegrem-se!



"Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!" Filipenses 4.4 NVI. Esta alegria aqui alistada e requerida dos cristãos como uma característica marcante de sua peregrinação neste mundo, foi mencionada também em 1 Tessalonicenses 5.16. Ali, o imperativo "alegrem-se" é bastante adequado, principalmente depois do que é dito no verso anterior: "Tenham cuidado para que ninguém retribua o mal com o mal" (1 Tessalonicenses 5.15 NVI). De fato, seria muito difícil para qualquer cristão conciliar satisfação e júbilo com ressentimento e desejo de vingança. Diante disso, o exemplo deixado por Jesus sobre o perdão não poderia ter aplicação mais pertinente. Nós deveríamos oferecer perdão a quem quer que seja com contentamento e genuíno prazer pela vida, mesmo porque em última análise seremos os maiores beneficiados deste ato. Os cristãos são aqueles que experimentaram o novo nascimento (João 3.3,7); que foram feitos novas criaturas (2 Coríntios 5.17); e que se regozijam na dimensão espiritual de Deus. Sua visão de mundo e do que acontece à sua volta é diferente em relação às pessoas que não conhecem pessoalmente ao Pai celestial. A imagem que a Palavra nos passa dos cristãos não é a de um povo contrariado e triste a serviço de Cristo, mas de pessoas satisfeitas em viverem as implicações de sua fé. De gente que possui um propósito de vida sério que não pode ser negligenciado. De vez em quando isso conduz a uma ação inflexível e severa, mas a ênfase é que na maioria dos casos seu caminho é feliz! Seus recursos espirituais são tantos que as coisas terrenas não incomodam sua paz. A alegria que desfrutam não é alcançada por seus próprios esforços, mas lhes é concedida pelo Espírito Santo (Gálatas 5.22). É natural que pessoas em geral se alegrem quando as coisas lhes são favoráveis, porém este não é o caso aqui. Esta alegria dos cristãos não é dependente de circunstâncias, mas do fato de estarem em Cristo. Se prestássemos atenção às circunstâncias externas das comunidades cristãs primitivas ficaríamos surpresos. Perseguições eram uma ameaça constante. Os discípulos eram privados de liberdade e forçados a trabalhar duro para sobreviverem. No entanto, eles pensavam mais em Deus do que em suas dificuldades, mais em suas riquezas espirituais em Cristo do que em sua pobreza na terra, mais na glória futura do que em seu presente de dor e sofrimento. O ponto é que se focalizamos as dificuldades do presente, erramos o alvo; todavia, se mantemos os olhos no Senhor a alegria é possível seja qual for a circunstância! ____________________________________ João Crisóstemo



"Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: alegrem-se!" Filipenses 4.4 NVI. Esta alegria aqui alistada e requerida dos cristãos como uma característica marcante de sua peregrinação neste mundo, foi mencionada também em 1 Tessalonicenses 5.16. Ali, o imperativo "alegrem-se" é bastante adequado, principalmente depois do que é dito no verso anterior: "Tenham cuidado para que ninguém retribua o mal com o mal" (1 Tessalonicenses 5.15 NVI). De fato, seria muito difícil para qualquer cristão conciliar satisfação e júbilo com ressentimento e desejo de vingança. Diante disso, o exemplo deixado por Jesus sobre o perdão não poderia ter aplicação mais pertinente. Nós deveríamos oferecer perdão a quem quer que seja com contentamento e genuíno prazer pela vida, mesmo porque em última análise seremos os maiores beneficiados deste ato. Os cristãos são aqueles que experimentaram o novo nascimento (João 3.3,7); que foram feitos novas criaturas (2 Coríntios 5.17); e que se regozijam na dimensão espiritual de Deus. Sua visão de mundo e do que acontece à sua volta é diferente em relação às pessoas que não conhecem pessoalmente ao Pai celestial. A imagem que a Palavra nos passa dos cristãos não é a de um povo contrariado e triste a serviço de Cristo, mas de pessoas satisfeitas em viverem as implicações de sua fé. De gente que possui um propósito de vida sério que não pode ser negligenciado. De vez em quando isso conduz a uma ação inflexível e severa, mas a ênfase é que na maioria dos casos seu caminho é feliz! Seus recursos espirituais são tantos que as coisas terrenas não incomodam sua paz. A alegria que desfrutam não é alcançada por seus próprios esforços, mas lhes é concedida pelo Espírito Santo (Gálatas 5.22). É natural que pessoas em geral se alegrem quando as coisas lhes são favoráveis, porém este não é o caso aqui. Esta alegria dos cristãos não é dependente de circunstâncias, mas do fato de estarem em Cristo. Se prestássemos atenção às circunstâncias externas das comunidades cristãs primitivas ficaríamos surpresos. Perseguições eram uma ameaça constante. Os discípulos eram privados de liberdade e forçados a trabalhar duro para sobreviverem. No entanto, eles pensavam mais em Deus do que em suas dificuldades, mais em suas riquezas espirituais em Cristo do que em sua pobreza na terra, mais na glória futura do que em seu presente de dor e sofrimento. O ponto é que se focalizamos as dificuldades do presente, erramos o alvo; todavia, se mantemos os olhos no Senhor a alegria é possível seja qual for a circunstância! ____________________________________ João Crisóstemo