Como Reagir ao Sofrimento



"Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança." Romanos 5.3-4 NVI O verso anterior a este diz: "e nos gloriamos na esperança da glória de Deus." A palavra “gloriamos” sugere confiança e alegria. O autor aponta para a exultação do cristão na esperança da glória que Deus irá manifestar. Mais adiante ele complementa seu pensamento dizendo: "Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada." Romanos 8.18. Este verso nos é útil de duas formas. Primeiro para nos dar uma perspectiva da glória futura e depois para introduzir o próximo tema, a saber, sofrimentos ou tribulações. O objeto da alegria, isto é, “a glória de Deus a ser revelada,” é substituído por “tribulações”. O cristão deveria alegrar-se não apenas na esperança da glória de Deus, mas também nas aflições. Os sofrimentos aqui mencionados são aqueles cuja causa se deve à nossa união com Cristo. Isto porque todo o mal que experimentamos reflete o conflito entre esta presente era dominada por Satanás, e a era vindoura, à qual temos sido transferidos pela fé. Todo sofrimento revela a presença do inimigo e envolve ataques ao nosso relacionamento com Cristo. Se reagimos com dúvida na bondade e promessas de Deus, ou com agressões aos outros, ou com desespero, ou até mesmo apostatando da fé, então estes sofrimentos nos trarão derrota. Mas se reagimos com uma atitude de confiança e alegria, estes sofrimentos produzirão em nós preciosas qualidades espirituais. A primeira virtude que a tribulação produz é a perseverança. Esta palavra denota a força espiritual de alguém que permanece firme embaixo de pressão, e que se torna ainda mais forte com o sofrimento. Ela produzirá, se a nossa atitude for correta, um caráter aprovado; e como resultado deste caráter aprovado, iremos perceber mais tarde que a nossa esperança se fortaleceu. Esperança, assim como músculo, não se torna forte se não for usada. É no sofrimento que se exercita a determinação e se fortalece a esperança. Portanto, ao experimentá-lo devemos lembrar que para sermos bem sucedidos precisamos reagir corretamente, ou seja, com uma confiança alegre no Senhor! ____________________________________ João Crisóstemo



"Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança." Romanos 5.3-4 NVI O verso anterior a este diz: "e nos gloriamos na esperança da glória de Deus." A palavra “gloriamos” sugere confiança e alegria. O autor aponta para a exultação do cristão na esperança da glória que Deus irá manifestar. Mais adiante ele complementa seu pensamento dizendo: "Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada." Romanos 8.18. Este verso nos é útil de duas formas. Primeiro para nos dar uma perspectiva da glória futura e depois para introduzir o próximo tema, a saber, sofrimentos ou tribulações. O objeto da alegria, isto é, “a glória de Deus a ser revelada,” é substituído por “tribulações”. O cristão deveria alegrar-se não apenas na esperança da glória de Deus, mas também nas aflições. Os sofrimentos aqui mencionados são aqueles cuja causa se deve à nossa união com Cristo. Isto porque todo o mal que experimentamos reflete o conflito entre esta presente era dominada por Satanás, e a era vindoura, à qual temos sido transferidos pela fé. Todo sofrimento revela a presença do inimigo e envolve ataques ao nosso relacionamento com Cristo. Se reagimos com dúvida na bondade e promessas de Deus, ou com agressões aos outros, ou com desespero, ou até mesmo apostatando da fé, então estes sofrimentos nos trarão derrota. Mas se reagimos com uma atitude de confiança e alegria, estes sofrimentos produzirão em nós preciosas qualidades espirituais. A primeira virtude que a tribulação produz é a perseverança. Esta palavra denota a força espiritual de alguém que permanece firme embaixo de pressão, e que se torna ainda mais forte com o sofrimento. Ela produzirá, se a nossa atitude for correta, um caráter aprovado; e como resultado deste caráter aprovado, iremos perceber mais tarde que a nossa esperança se fortaleceu. Esperança, assim como músculo, não se torna forte se não for usada. É no sofrimento que se exercita a determinação e se fortalece a esperança. Portanto, ao experimentá-lo devemos lembrar que para sermos bem sucedidos precisamos reagir corretamente, ou seja, com uma confiança alegre no Senhor! ____________________________________ João Crisóstemo