A Felicidade do Justo



"Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores! Ao contrário, sua satisfação está na lei do Senhor, e nessa lei medita dia e noite." (Salmo 1.1-2 NVI). Esta expressão “feliz” ou “bem aventurado” aparece com frequência no saltério e nos livros de sabedoria; geralmente, como parte de poemas envolvendo oração e louvor. Aqui, introduz a ideia de uma maneira específica de viver. O texto faz referencia a um indivíduo, isto é, ao “justo” (v. 6), que se posiciona contra um grupo de pessoas ímpias, tendo que permanecer firme contra a pressão que este lhe impõe. Três relatos paralelos destacam o tipo de conduta que leva à ruína. Basicamente, transgressão tem a ver com ação. A primeira; “seguir” o conselho dos ímpios. A próxima é mais grave; “imitar” a conduta dos pecadores; significa mais que apenas seguir, mas permanecer firme na disposição de reproduzir o mal. Nesse ponto, a mera ação tornou-se um estilo de vida. Estas atitudes são precedidas pelo “assentar-se” na roda dos zombadores; o que resulta não apenas em participar de seus encontros e resoluções, mas viver de modo similar a eles. Estes transgressores são descritos como “ímpios,” “pecadores” e “zombadores.” Dentre estes, os “zombadores” se destacam. Pessoas com esta característica orgulham-se de seus pensamentos e não aceitam ser contrariadas. O meditar no ensino da Palavra de Deus nunca fez parte de sua rotina diária. Estão longe de se arrependerem, e quem quer que se assente na companhia delas corre o risco de absorver sua visão de mundo. Por outro lado, a conduta do “justo” envolve "satisfação" no estudo das Escrituras. Este prazer em aprender da Palavra se expressa quando nela ele “medita dia e noite”; isto é, incessantemente. Os ímpios, os pecadores e os zombadores não creem na Palavra, no louvor a Deus ou na oração; por isso, suas vidas se provarão infrutíferas. Porém, o justo se reúne com a comunidade da fé para orar e adorar ao Senhor (v. 5; Salmo 89.5,7), e à medida que investe seu tempo em conhecer e servir a Deus, ele descobre que se tornou “feliz”! ____________________________________ João Crisóstemo



"Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores! Ao contrário, sua satisfação está na lei do Senhor, e nessa lei medita dia e noite." (Salmo 1.1-2 NVI). Esta expressão “feliz” ou “bem aventurado” aparece com frequência no saltério e nos livros de sabedoria; geralmente, como parte de poemas envolvendo oração e louvor. Aqui, introduz a ideia de uma maneira específica de viver. O texto faz referencia a um indivíduo, isto é, ao “justo” (v. 6), que se posiciona contra um grupo de pessoas ímpias, tendo que permanecer firme contra a pressão que este lhe impõe. Três relatos paralelos destacam o tipo de conduta que leva à ruína. Basicamente, transgressão tem a ver com ação. A primeira; “seguir” o conselho dos ímpios. A próxima é mais grave; “imitar” a conduta dos pecadores; significa mais que apenas seguir, mas permanecer firme na disposição de reproduzir o mal. Nesse ponto, a mera ação tornou-se um estilo de vida. Estas atitudes são precedidas pelo “assentar-se” na roda dos zombadores; o que resulta não apenas em participar de seus encontros e resoluções, mas viver de modo similar a eles. Estes transgressores são descritos como “ímpios,” “pecadores” e “zombadores.” Dentre estes, os “zombadores” se destacam. Pessoas com esta característica orgulham-se de seus pensamentos e não aceitam ser contrariadas. O meditar no ensino da Palavra de Deus nunca fez parte de sua rotina diária. Estão longe de se arrependerem, e quem quer que se assente na companhia delas corre o risco de absorver sua visão de mundo. Por outro lado, a conduta do “justo” envolve "satisfação" no estudo das Escrituras. Este prazer em aprender da Palavra se expressa quando nela ele “medita dia e noite”; isto é, incessantemente. Os ímpios, os pecadores e os zombadores não creem na Palavra, no louvor a Deus ou na oração; por isso, suas vidas se provarão infrutíferas. Porém, o justo se reúne com a comunidade da fé para orar e adorar ao Senhor (v. 5; Salmo 89.5,7), e à medida que investe seu tempo em conhecer e servir a Deus, ele descobre que se tornou “feliz”! ____________________________________ João Crisóstemo