Herança Garantida



“Nele, quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados com o Espírito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória” (Efésios 1:13,14 NVI). Lemos nestes versos da carta do apóstolo Paulo à igreja em Éfeso, que o selo do Espírito Santo é concedido àqueles que creem no evangelho de Cristo. Ao fazer isso, Deus os marca como Sua propriedade. O Espírito, nesta passagem, é chamado de “Espírito Santo da promessa.” É possível que com esta expressão o autor quis indicar o Espírito Santo que fora prometido (Atos 2:33); porém, o significado mais provável é que o Espírito Santo, ao ser recebido, traga com ele a promessa da glória porvir. Esta ideia é reforçada um pouco mais adiante na carta, onde lemos que os cristãos foram selados com o Espírito “para o dia da redenção” (Efésios 4:30). O texto revela ainda que o recebimento do Espírito “é a garantia da nossa herança;” o sinal dado por Deus para nos assegurar que a glória da vida futura, prometida no evangelho, não é um conto de fadas, mas uma esperança com sólido fundamento. A palavra “herança” é usada aqui para descrever tanto as bençãos que já são desfrutadas aqui e agora pelos cristãos através da habitação do Espírito, quanto aquelas que Deus tem reservado para eles na eternidade. A redenção já lhes pertence por meio do sacrifício e morte de Jesus, porém um aspecto desta redenção permanece por ser realizada. No dia da ressurreição Deus irá resgatar aqueles que lhe “pertencem;” e a evidência de que este compromisso será cumprido foi dada quando Ele os selou com o seu Espírito. A frase aqui traduzida para “daqueles que pertencem a Deus,” ocorre no mesmo sentido de I Pedro 2:9, onde os cristãos são chamados de “geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus.” Tal linguagem é um símbolo de segurança para os que estão dentro da comunidade de Deus participando das bençãos presentes e da esperança porvir. ____________________________________ João Crisóstemo



“Nele, quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados com o Espírito Santo da promessa, que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória” (Efésios 1:13,14 NVI). Lemos nestes versos da carta do apóstolo Paulo à igreja em Éfeso, que o selo do Espírito Santo é concedido àqueles que creem no evangelho de Cristo. Ao fazer isso, Deus os marca como Sua propriedade. O Espírito, nesta passagem, é chamado de “Espírito Santo da promessa.” É possível que com esta expressão o autor quis indicar o Espírito Santo que fora prometido (Atos 2:33); porém, o significado mais provável é que o Espírito Santo, ao ser recebido, traga com ele a promessa da glória porvir. Esta ideia é reforçada um pouco mais adiante na carta, onde lemos que os cristãos foram selados com o Espírito “para o dia da redenção” (Efésios 4:30). O texto revela ainda que o recebimento do Espírito “é a garantia da nossa herança;” o sinal dado por Deus para nos assegurar que a glória da vida futura, prometida no evangelho, não é um conto de fadas, mas uma esperança com sólido fundamento. A palavra “herança” é usada aqui para descrever tanto as bençãos que já são desfrutadas aqui e agora pelos cristãos através da habitação do Espírito, quanto aquelas que Deus tem reservado para eles na eternidade. A redenção já lhes pertence por meio do sacrifício e morte de Jesus, porém um aspecto desta redenção permanece por ser realizada. No dia da ressurreição Deus irá resgatar aqueles que lhe “pertencem;” e a evidência de que este compromisso será cumprido foi dada quando Ele os selou com o seu Espírito. A frase aqui traduzida para “daqueles que pertencem a Deus,” ocorre no mesmo sentido de I Pedro 2:9, onde os cristãos são chamados de “geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus.” Tal linguagem é um símbolo de segurança para os que estão dentro da comunidade de Deus participando das bençãos presentes e da esperança porvir. ____________________________________ João Crisóstemo